terça-feira, 28 de abril de 2009

DIA 23, É DIA DE JORGE







SALVE JORGE

Madrugada do dia 23 ás 4h já havia uma multidão em frente a igreja católica no centro do Rio. A missa começou após uma pequena queima de fogos e os devotos entre uma cerveja e outra acendiam velas, distribuíam fitinhas do santo padroeiro e faziam pedidos saudando fervorosamente. O mais curioso foi que ao mesmo tempo em qua acontecia a missa, a fila para entrar na igreja dava voltas e mais voltas em inúmeros quarteirões. Em frente a igreja, um senhor ao atabaque no meio de uma roda de umbanda animadíssima, entoava cantos acompanhados por palmas e saudações entusiasmadas aos orixás. Pitorescas são as adaptações culturais, atenção especial à letra da oração dedicada para Nossa Senhora Aparecida:

“Virgem, bendita, dê proteção
a mim e a minha família das
doenças, dos assaltos, dos
raios e dos outros perigos”.

Ps.: A mulher ao meu lado pedia proteção dos assaltos, dos raios e dos VIZINHOS...

Um comentário:

Feliperas França disse...

que festa maravilhosa!

Com as armas e as roupas de Jorge.
Meu Santo é forte.

PS: pelo menos a senhora em questão não se subordina à política da boa vizinhança. Isso que é reza verdadeira. Salve, Jorge.